Posts

Valorizando sentimentos

O coração tem razões que a própria razão desconhece. – Pascal

Todo sentimento tem uma razão, e todo sentimento traz consigo uma razão. Apesar de não ser sábio permitir que seus sentimentos controlem suas ações, por outro lado também não é sábio ignorá-los. Leia mais

Valorize seus sentimentos

O coração tem razões que a própria razão desconhece. – Pascal

Todo sentimento tem uma razão, e todo sentimento traz consigo uma razão. Apesar de não ser sábio permitir que seus sentimentos controlem suas ações, por outro lado também não é sábio ignorá-los. Leia mais

A cura é possível

O homem forte domina os outros. O homem sábio se domina a si mesmo. – Tolstoi

É possível que existam inúmeras cicatrizes em você, a ponto de paralisá-lo diante dos desafios diários que a vida lhe oferece. São cicatrizes relacionadas com memórias da infância; ou provenientes de palavras que ainda ressoam em seu interior; cicatrizes talvez relacionadas a ressentimentos; ou quem sabe resultantes de julgamentos alheios. Leia mais

As feridas que provocamos

Criticar os outros é algo muito perigoso; nem tanto pelos erros que você pode cometer ao criticar, mas pelo fato de você poder estar revelando algumas verdades a seu respeito. – Harold Medina

Imagine afundar uma faca afiadíssima no peito de um amigo num momento de repentina ira. À medida que a lamina penetra o corpo, seu amigo, atônito, tenta desesperadamente encontrar um pouco de ar. A seguir, gritando sob uma excruciante dor, ele cai ao chão. Perdendo sangue, sucumbido pelo sofrimento, ele entra em choque e perde os sentidos. Essa pessoa não morre, porque vem a receber cuidados médicos adequados e em tempo propício. No entanto ele irá carregar no peito, pelo resto da vida, uma enorme cicatriz. Leia mais

Bom humor, sinônimo de saúde

Para compreendermos o que é o bom humor, primeiro é necessário entender o que são sentimentos e emoções. Emoções são reações breves a acontecimentos que ocorrem em nosso corpo e mente. Sentimentos são as mesmas reações, mas elas não são breves. Elas podem durar dias, meses ou anos. Por exemplo, um susto é momentâneo, é emoção, mas ter medo de algo já é sentimento. Leia mais

Educar para a morte

“Sabemos o momento em que nossa vida começa e, obviamente, não temos ideia quando ela terminará. Não sabemos quanto tempo teremos do primeiro ato da nossa existência até o último, em que teremos que sair de cena”. (Nazaré Jacobucci)

Hoje eu li este texto escrito pelo caríssimo Prof. Dr. Franklin Santana Santos e adorei! Por isso, decidi compartilhá-lo com vocês. “Educar para a morte é uma necessidade, diria mesmo uma urgência. Na nossa sociedade discutimos todo e qualquer assunto seja na rua, em casa, nas escolas e universidades, exceto a morte. Leia mais

Uma possível razão por traz do problema das drogas

As pessoas têm usado drogas desde o tempo em que tentam aliviar a dor e fugir aos problemas. Contudo, desde os princípios dos anos 60, as drogas têm sido de uso muito comum. Antes desta altura eram muito raras. As drogas espalharam-se mundialmente durante esta década, e uma larga percentagem de pessoas tornou-se consumidora de drogas. Leia mais

Se não quiser adoecer fale de seus sentimentos

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo, a repressão dos sentimentos, a mágoa, a tristeza, a decepção degenera até em câncer. Então, vamos confidenciar, desabafar, partilhar nossa intimidade, nossos desejos, nossos pecados. Leia mais

Uma visão espiritual da não maternidade

 

Há algumas semanas, estávamos eu e uma colega de trabalho conversando sobre a minha experiência da não maternidade e eis que surge uma frase que, mesmo sem intenção, manifestou em mim a vontade de escrever o presente depoimento.

– Não é a mesma coisa. Amor de mãe é diferente. Leia mais

A hemorragia da alma

Não há nada que cause mais amargura do que a auto-depreciação. Um sentimento que nos impede de sermos felizes, esta terrível doença atinge a todos e poderia ser diagnosticada como “síndrome do coitadinho”. Nos casos mais dramáticos nos persuade a olharmos sempre para dentro de nós ao invés de olharmos externamente e para o horizonte. Sussurra pequenas coisas em nossos ouvidos. Lembra-nos do quando somos depreciados e maltratados. Importantes, mas, ainda sim, desprezados. Dotados, mas ignorados. Capazes, mas não reconhecidos. Brilhantes, mas eclipsados. Leia mais