Posts

As coisas não ditas fazem mal a mente e ao coração

As coisas não ditas fazem mal, elas permanecem na mente e no corpo, quase sempre tomam espaço e fazem de tudo para serem ouvidas. Para conseguirem, tornam-se distúrbios, doenças. Na prática assumem diferentes formas, dependendo da pessoa e da “substância”, do conteúdo, que trazem consigo. Leia mais

Codependência: como reconhecer esta doença

Com participação de nosso articulista colaborador, o advogado e especialista em dependência química Piti Hauer, este documentário da TV Evangelizar fala sobre a codependência. Definida como um transtorno de relacionamento caracterizado pelo fato de uma pessoa ser controlada pelo comportamento de outra pessoa a qual é ligada emocionalmente, a codependência é classicamente mais definida dentro da clínica das dependências de substâncias psicoativas. Leia mais

Depressão: a doença do presente para o futuro

Dados da OMS revelam que a depressão é a principal causa de incapacidade, atualmente são 350 milhões de enfermos ao redor do mundo e o pior, estima-se que em 2030 a doença venha a ser mais comum de todas, que afetará as pessoas mais do que o câncer e as doenças cardíacas. Leia mais

A mente é fonte da doença e o coração da cura

Na verdade a frase não é minha, mas de Osho. Afirmava o guru que a mente é causa de todas as doenças e o coração é fonte de cura. Isso dá o que falar, nos leva a uma grave reflexão, que acabará nos trazendo a quase certeza de que “somos aquilo que pensamos”. Tudo aquilo que projetamos em nosso inconsciente, que arquiva, retorna de alguma forma, proporcionando-nos bem ou mal estar, saúde ou doença, alegria ou tristeza. Leia mais

Quando a mente fabrica a doença

Quase todos nós aceitamos sem problemas que o coração bata com mais força quando nos aproximamos da pessoa por quem estamos apaixonados, ou que as nossas pernas tremam quando é preciso falar em público. São emoções que provocam sintomas físicos reais. Entretanto, custa aceitar que os mesmos pensamentos que causam um frio na barriga cheguem a desencadear doenças graves, como cegueira, convulsões ou paralisias. E, no entanto, é justamente isso que descreve a neurologista Suzanne O’Sullivan no livro It’s All in Your Head (está tudo na sua cabeça, na tradução literal, ainda inédito no Brasil), no qual revê alguns dos casos mais impactantes de doenças psicossomáticas com os quais se deparou ao longo da carreira. Leia mais

Síndrome do “sempre ligado”

Assim que acorda, mesmo de férias ou em feriados e domingos, você checa os e-mails do trabalho, ou fica preocupado se o hotel não tiver um bom wi-fi ou se seu celular ficar sem sinal? Leia mais

Não existe cura sem perdão

Quando você culpa os outros pelos seus problemas, você passa a dar a eles o controle sobre a sua vida. Liberte-se da sua própria ira, do seu ressentimento e você encontrará um espaço muito maior para a serenidade e abundância. Já é ruim o suficiente se alguém o feriu no passado. Existe, porventura, algum valor em permitir que essa pessoa continue a manipulá-lo e fazê-lo sofrer, ainda que à distância? Leia mais

Fisioterapia não ajuda pacientes com Parkinson

Atuais padrões de terapia podem ser uma perda de tempo e dinheiro.

Metade dos pacientes recebeu a orientação de fazer fisioterapia. A fisioterapia e a terapia ocupacional não oferecem melhoras para a qualidade de vida dos pacientes que sofrem de quadros leves a moderados de mal de Parkinson, garantiu um estudo britânico publicado. Leia mais

Câncer de Boca

O câncer de boca é um tipo de tumor que pode surgir na língua, no céu da boca, nas gengivas, nas bochechas, nos lábios ou na garanta, produzindo sintomas como feridas que não cicatrizam, dificuldade para mastigar ou manchas vermelhas, por exemplo.

O câncer de boca doí devido à presença de feridas na boca, no entanto, tem cura através de radioterapia, quimioterapia e cirurgia, que podem ser utilizadas separadamente ou combinadas, dependendo da gravidade do caso. Leia mais

Depressão

Durante nossas vidas todos podemos apresentar humor elevado, normal ou depressivo, dependendo das situações que estamos vivendo. As variações de humor ocorrem por motivos alheios às nossas vontades. Podemos ficar excitados, estimulados, caídos, derrubados ou na pior, independentemente de assim o desejarmos. Estar caído ou na pior não pode ser confundido com depressão, pois estamos vivendo uma simples tristeza, que certamente terminará, assim que o fato que a determinou, passe. Leia mais