Posts

O uso de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho

De acordo com a mais recente pesquisa da Previdência Social, só em 2011 foram concedidos mais de 124 mil benefícios por afastamento em decorrência do uso de drogas ilegais, acumulando despesas na ordem de R$ 107,5 milhões. Crack, cocaína, anfetaminas e maconha afastam oito vezes mais funcionários do que o álcool e o cigarro. Leia mais

Quanto mais álcool, menos autopercepção

Conforme mostramos nesta matéria, o excesso de bebida alcoólica pode lesionar o cérebro de diversas maneiras. Inclusive, diminuir os níveis de autopercepção. Leia mais

Dados do uso de álcool pela população brasileira

Uma pesquisa foi realizada em 2012, escolhendo aleatoriamente indivíduos com 14 anos ou mais de todo território brasileiro. Um total de 4.607 entrevistados responderam sigilosamente a um questionário padronizado com mais de 800 perguntas que avaliaram o padrão de uso de álcool, tabaco e drogas ilícitas, bem como fatores associados com o uso problemático, como depressão, suporte social, saúde física, violência infantil e doméstica entre outros. Leia mais

Problemas sociais associados ao uso de álcool – Consumo de álcool e a família

É sabido que o uso de álcool pode prejudicar o indivíduo em diversas esferas de sua vida social. O uso indevido de álcool está relacionado a inúmeras consequências negativas tanto na vida do cônjuge daquele que bebe quanto na vida de seus filhos. Exemplos dessas complicações na vida do filho são: Síndrome Fetal Alcoólica, abuso infantil e impacto nas esferas social, psicológica e econômica.   Leia mais

Padrões de consumo de álcool e o risco para desenvolvimento de câncer

O consumo excessivo de álcool já foi anteriormente relacionado, em outras pesquisas científicas, como fator implicado em maior risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer como de cavidade oral, faringe, laringe, fígado, esôfago, mama e colorretal. Em geral, quanto maior a quantidade de álcool ingerida, maior é o risco. Já a relação entre tal risco e o consumo moderado de álcool (muitas vezes definido como uma dose* diária para mulheres e duas para homens) ainda não é muito claro, como ocorre nas doenças cardíacas e diabetes, nas quais o consumo leve a moderado já demonstrou ter efeito protetor, enquanto o beber mais intenso pode ter relação inversa. Leia mais

Prevenção de recaídas

O consumo de álcool é um hábito milenar e cultural entre diversos povos. Uma pequena parcela dos consumidores pode desenvolver transtornos por uso de álcool, inclusive com síndrome de dependência ou alcoolismo (para saber mais,clique aqui) e consequentes danos sociais e à saúde. Para esses indivíduos, é importante aderir a uma longa jornada de tratamento, com muita determinação, ajuda profissional e apoio de familiares e amigos. Leia mais

Efeitos do beber pesado no sistema imunológico

O uso de álcool, especificamente quando leva ao estado de embriaguez, foi associado a mais de 30% dos casos de traumas físicos, e entre tais vítimas atendidas nas unidades de emergência, há maior risco para complicações, como doenças infecciosas e resposta inflamatória grave, o que implica maior mortalidade. Estudos em humanos e modelos animais já demonstraram que a intoxicação alcoólica exerce efeitos imunomoduladores com início em algumas horas a dias após a ingestão, quando o álcool no sangue já não é mais detectável. Entretanto, os efeitos imunomoduladores precoces do álcool no sangue ainda não são bem compreendidos. Leia mais

O “Efeito Míope” do álcool

Quando bebem, uns ficam agitados, outros choram, outros dançam em cima do balcão, outros amam todo mundo. Mas algumas pessoas ficam muito agressivas e acabam constituindo um risco para si mesmas e os outros. Por que isso acontece? Segundo um estudo americano, o que vai determinar se a pessoa ficará agressiva ou não é a existência de um traço específico da personalidade: a capacidade de considerar as consequências das suas ações. Leia mais

Doenças Provocadas pelo Álcool

 

Quando existe um consumo excessivo de álcool, algumas consequências são imediatas como perda da coordenação das pernas para andar, falha de memória e fala lentificada, por exmeplo. Porém, o consumo prolongado de bebidas alcoólicas pode afetar praticamente todos os órgãos do organismo, provocando desde gastrite, pancreatite, hepatite, impotência, infertilidade e até cirrose hepática, que podem levar à morte.

Leia mais

Álcool na gravidez

 

O consumo de álcool na gravidez está contraindicado, pois ao passar pela placenta, o álcool tem de ser metabolizado pelo fígado do bebê, permanecendo no seu organismo durante algum tempo e podendo causar: Leia mais