Dia do Trabalhador(a), dia de se organizar e ir a luta!

Dia primeiro de maio, dia do trabalhador e não apenas do trabalho. Hoje é dia daqueles e daquelas que arregaçam as mangas e “sujam suas mãos”. Dia de fazer memória de todos que lutaram e ainda lutam pelos direitos de dignidade, vida e trabalho honesto nesta sociedade corrupta do Brasil. Hoje é dia de rezar a vida daqueles que buscam realizar-se naquele trabalho que desempenham, levando alegria onde atuam.

Hoje é dia não de festejar, pois há muito não chegávamos à uma situação tão caótica como a atual em nosso país. Hoje é dia de refletirmos como mudar a situação de desrespeito aos trabalhadores em nossa pátria. Quando olhamos para a trajetória do Povo de Deus, escravos no Egito, vemos que o Senhor, Javé, Deus da caminhada intervém na vida dos mais pobres, que se encontram em situação de maior vulnerabilidade e exploração. Tal intervenção não se dá de forma mágica, mas sim, a partir da tomada de consciência do povo, vendo que se faz necessário mudanças para que haja vida, e vida em abundância. A mudança acontece mediante a organização do povo, que se articula, analisa, estuda a situação vivida e traça um caminho à ser percorrido. Nasce assim uma utopia, um sonho à ser alcançado. Trata-se do sonho da libertação. Porém, sonho da libertação só será atingido pela ação conjunta, pela colaboração e união de todos.

Deus dá a inspiração, vela/olha por seu povo e caminha com ele. Porém, Deus dá autonomia, livre arbítrio para o ser humano. Assim, quando o homem clama à Javé/Deus, Ele responde e age na realidade através das pessoas e da criação. Novamente, nos dias atuais, o Povo de Deus, os trabalhadores(as) devem clamar à Javé/Deus da caminhada e buscarem organização política, sindical, tomarem o rumo de sua história e promoverem libertação por suas próprias mãos. Lembremos que a caminhada se faz caminhando! Operários, Trabalhadores(as) do mundo inteiro uni-vos!

Oração:

Jesus, divino trabalhador e amigo dos trabalhadores, volvei Vosso olhar benigno para o mundo do trabalho. Nós Vos apresentamos as necessidades dos que trabalham intelectual, moral ou materialmente. Bem sabeis como são duros os nossos dias cheios de canseira, sofrimento e insídia. Vede as nossas penas físicas, morais e repeti aquele brado de Vosso coração: “Tenho dó deste povo”. Dai-nos a sabedoria, a virtude e o amor que Vos alentou nas Vossas laboriosas jornadas, inspirai-nos pensamentos de fé, de paz e moderação, de economia, a fim de procurarmos, com o pão de cada dia, os bens espirituais, para transformarmos a face da terra, completando assim a obra da criação que Vós iniciastes. E que Vossa luz nos ilumine a nós na busca de melhores leis sociais e ilumine os legisladores a estabelecer uma sociedade de justiça e amor. Amém