O Carnaval e a alegria do Espírito

Toda festa, mesmo a mais aparentemente mundana, reúne pessoas em uma expressão de alegria e, por isso, tem uma dimensão nobre e mesmo espiritual.

Nessa semana, todo o Brasil está em ritmo de Carnaval. Em muitas cidades do litoral e do interior, as pessoas esquecem dores e angústias do cotidiano através da dança, das brincadeiras e da alegria do Carnaval. Há quem veja nisso mera alienação e alguns até condenam o mundanismo e julgam o Carnaval como mal. Sem dúvida, o Capitalismo faz de tudo mercadoria. Cada vez fica mais difícil brincar, dançar e se fantasiar gratuitamente. Tudo é comercial. O Carnaval se torna o momento do uso exagerado de bebidas e mesmo de drogas. Tudo isso cria um circulo vicioso com a violência urbana que explode em alguns fenômenos de massa não bem canalizados. No entanto, apesar desses problemas, toda festa, mesmo a mais aparentemente mundana, reúne pessoas em uma expressão de alegria. Por isso, tem uma dimensão nobre e mesmo espiritual. O que caracteriza a festa é a liberdade de brincar, o direito de subverter a rotina e de expressar alegria e comunhão, através de uma comida gostosa, a música contagiante e a dança que unifica corpo e espírito. Leia mais

Sob o olhar de Aparecida, as mulheres brasileiras

Ano Nacional Mariano é uma rica oportunidade para favorecer o rosto misericordioso de Deus que Maria conhece e proclama com o seu canto de libertação.

Por ocasião dos trezentos anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, pelos pobres pescadores do rio Paraíba do Sul, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil propôs aos católicos brasileiros um tempo para refletir, fazer memória e celebrar ao redor do testemunho da mãe de Jesus. Desde 12 de outubro de 2016, a Igreja no Brasil é convidada a viver o Ano Nacional Mariano como tempo de louvor a Deus pela fidelidade de Maria ao Evangelho. Confirmado pelo Vaticano, o Ano Jubilar para a Igreja no Brasil oferece a indulgência plenária a todos os peregrinos que confessarem seus pecados. É uma rica oportunidade para favorecer o rosto misericordioso de Deus que Maria conhece e proclama com o seu canto de libertação. Leia mais

A justiça social que precisamos e queremos

A ação libertadora de Jesus significou a realização da justiça na vida dos empobrecidos e empobrecidas.

No último dia 20 celebramos o Dia Mundial da Justiça Social. Esse é um tema candente na pauta de quem luta por um mundo melhor, de dignas oportunidades para todos e todas. Para o cristianismo, esse tema, que se insere no contexto do Ensino Social da Igreja, é muito importante, pois nos coloca diretamente no horizonte do Reino de Deus. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mt 6,33). Leia mais

A sustentável leveza de ser

seja água, meu amigo… então você fica constantemente fluindo.

 

Leia mais

A preocupação nossa de cada dia

Comentário ao evangelho do 8° Domingo do Tempo Comum (Mateus 6, 24-34).

“Não vos preocupeis com a vossa vida, com o que haverei de comer ou beber; nem com o vosso corpo, com o que havereis de vestir” (Mt 6,25).

Jesus se dirige aos seus discípulos e revela o verdadeiro rosto de Deus e as suas entranhas de Pai-Mãe, que cuida dos próprios filhos, como também das flores do campo e dos pássaros do céu. O fundamento da segurança e da serenidade reside na consciência de estar nas mãos providentes de Deus. Leia mais