Cidadãs e cidadãos da Terra

Nesses dias, se completa um mês do encerramento da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas em Paris. Como sempre nesse tipo de encontros, na conferência dos governos, o documento conclusivo se restringe a boas intenções e se notabiliza pela timidez das propostas. Enquanto isso, no dia 12 de dezembro, participantes das organizações e movimentos sociais do mundo inteiro, reunidos em um encontro paralelo, assinaram um manifesto-compromisso dirigido a toda a humanidade. O próprio título chama a atenção: “Cidadãs e cidadãos do povo da Terra: Vamos criar nosso próprio poder”. Convoca todas as pessoas das mais diferentes nacionalidades a se sentir como um único povo da Terra. E que essa humanidade unificada em um só povo crie um poder próprio, com voz e vez na sociedade internacional. O texto começa afirmando: “Nós, cidadãs e cidadãos do Povo da Terra, de todos os países, todas as culturas e tradições do mundo inteiro, reunidos em Paris nesse momento histórico, testemunhas da mudança climática e da degradação dos recursos naturais, essenciais para a vida na Terra, e da crescente desigualdade entre os seres humanos, nos comprometemos a preservar a capacidade de viver bem das gerações presentes e futuras”. Leia mais

Fome: alimentos como negócio

No afã de garantir lucros, há uma tendência mundial, no quadro do modo de produção capitalista, de privatizar tudo — especialmente as sementes. Menos de uma dezena de empresas transnacionais controla o mercado de sementes em todo o mundo.

O mundo está se alarmando com a alta do preço dos alimentos e com as previsões do aumento da fome no mundo. A fome representa um problema ético, denunciado por Gandhi: “a fome é um insulto, ela avilta, desumaniza e destrói o corpo e o espírito; é a forma mais assassina que existe”. Mas ela é também resultado de uma politica econômica. O alimento se transformou em ocasião de lucro e o processo agroalimentar num negócio rentoso. Mudou-se a visão básica que predominava até o advento da industrialização moderna, visão de que a Terra era vista como a Grande Mãe. Entre a Terra e o ser humano vigoravam relações de respeito e de mútua colaboração. O processo de produção industrialista considera a Terra apenas como baú de recursos a serem explorados até à exaustão. Leia mais

Vencer a indiferença

Superar a indiferença em relação a Deus é um caminho e vivência que não se reduzem a qualquer coisa.

A violência, a miséria e a exclusão social aumentam os impasses que dificultam o desenvolvimento sustentável e os entendimentos entre as pessoas. Não raramente os resultados das conferências e outras iniciativas são pífios, incapazes de contribuir para solucionar as muitas demandas da população, particularmente dos mais pobres. Há uma miopia crônica que estreita os horizontes da cultura e isso precisa ser curado para dar à sociedade um novo rumo. É necessário cultivar nas consciências e nos corações a competência para debelar a indiferença que compromete a paz. Leia mais

Deus enviou o seu Filho ao mundo

A encarnação do Verbo de Deus, celebrada no Natal, é um mistério do amor de Deus para com a humanidade. O Senhor se fez gente, se fez carne para a nossa salvação. Desde o início do cristianismo tiveram os cristãos apreço e adoração à vinda de Jesus no meio da humanidade. Os padres da Igreja, os primeiros escritores cristãos colocaram a vinda do Filho de Deus na vida humana como a unidade perfeita para beneficiar o ser humano e ao mesmo tempo como ação divina de exaltação. Tudo é possível para Deus até mesmo se tornar um de nós em tudo, menos o pecado. Vejamos os autores que realçaram o mistério da encarnação. Leia mais

O compromisso de pensar

Dizem que, no Brasil, as atividades do ano só começam mesmo depois do Carnaval. Só a partir dessa semana, Escolas, universidades e empresas retomam seu ritmo normal. Os meios de comunicação nos bombardeiam com notícias de crise e corrupção. Algumas são verdadeiras, mas se misturam com boatos e delações que condenam as pessoas antes mesmo de serem julgadas. Em tudo isso, o que parece mais em crise é a capacidade das pessoas pensarem. Será que as nossas escolas e universidades incentivarão seus alunos a pensar? Teremos algum dia  meios de comunicação social que divirtam as multidões sem reduzi-las ao pão e circo concedido pelos senhores do mundo?  Leia mais

Pragmatismo antiético do mercado

Nas páginas iniciais do primeiro livro da Bíblia, o Gênesis, o tema da ética sobressai: no centro do Jardim do Éden havia uma árvore do bem e do mal. A árvore é o símbolo óbvio de que toda a organização da vida humana deve ser planejada em torno de princípios éticos. Nascemos para a liberdade. Se somos livres, temos sempre diante dos olhos um leque de opções. Podemos optar pela opressão ou pela libertação; pela mentira ou pela verdade; pela competitividade ou pela solidariedade. Leia mais

“Casa comum, nossa responsabilidade”

Esse é  o tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica que, em todo o Brasil, será aberta pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC). De fato, desde o ano 2000, essa será a 4a Campanha da Fraternidade que reúne cinco Igrejas cristãs e diversas organizações ecumênicas. Dessa vez, além das Igrejas, reunidas no CONIC, essa Campanha da Fraternidade envolve também a Misereor, organização da Igreja Católica na Alemanha. O tema é o cuidado com a Terra, especialmente no que diz respeito ao saneamento básico que inclui o abastecimento de água urbano e rural; a coleta e tratamento de esgoto; o manejo adequado dos resíduos sólidos (lixo) e a drenagem das águas de chuva. Certamente, na realidade que, nesses dias, enfrentamos no Brasil, não podemos esquecer o combate a mosquitos que transmitem doenças que assolam a nossa população e provocam tantos males.   Leia mais

Em busca de uma sociedade justa

Desde os tempos iniciais da Filosofia Clássica é recorrente a ideia de se construir uma sociedade mais justa e menos desigual.

Platão (428–347 a.C.) contextualizou isso em A República (Politéia), idealizando uma cidade onde seus habitantes gozassem de plena e pura racionalidade. O egoísmo não existiria, as paixões seriam controladas, os interesses pessoais dariam lugar aos interesses coletivos; o Bem comum, o Belo e o Justo imperariam como princípios básicos, universais e pétreos. Leia mais

Artrose é uma das principais doenças

Problema afeta 9,6% dos homens e 18% das mulheres com idade superior a 60 anos.Articulações dos dedos estão entre as mais afetadas.

A população mundial está envelhecendo. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidades), até 2050, a quantidade de idosos vai duplicar no mundo. No Brasil, a expectativa é que o número de pessoas com mais de 60 anos aumente mais do que a média mundial, passando dos atuais 12,5% para 30%, até a metade do século. Entre as consequências do envelhecimento da população, está o aumento de doenças degenerativas do corpo, como a artrose (osteoartrose). Leia mais

Fisioterapia não ajuda pacientes com Parkinson

Atuais padrões de terapia podem ser uma perda de tempo e dinheiro.

Metade dos pacientes recebeu a orientação de fazer fisioterapia. A fisioterapia e a terapia ocupacional não oferecem melhoras para a qualidade de vida dos pacientes que sofrem de quadros leves a moderados de mal de Parkinson, garantiu um estudo britânico publicado. Leia mais