Aos pobres com carinho

Conto-lhes uma historia verídica. Aconteceu numa cidade de porte médio, e envolveu um prefeito jovem, médico, apaixonado pela sua vocação, amigo dos pobres e dos enfermos. Entendeu que poderia postular o cargo de prefeito para melhorar a situação da saúde no município. A prefeitura não tinha nenhum hospital, e havia três hospitais particulares na cidade. O pronto socorro da prefeitura não ia bem, sabia-o ele que era médico. Padecia de falta de recursos e de pessoal. Leia mais

O álcool e seus efeitos

O álcool é a droga mais usada no mundo e também a mais antiga que se tem conhecimento. Parece que já era conhecida, como uma forma primitiva de cerveja, feita a partir da fermentação de cereais, lá pelos anos 8000 a 6000 AC. O uso de uvas fermentadas pode ter surgido por volta dos anos 4000 a 3500 AC. Leia mais

O tempo das utopias mínimas viáveis

Não é verdade que vivemos tempos pós-utópicos. Aceitar esta afirmação é mostrar uma representação reducionista do ser humano. Ele não é apenas um dado que está ai fechado, vivo e consciente, ao lado de outros seres. Ele é também um ser virtual. Esconde dentro de si virtualidades ilimitadas que podem irromper e concretizar-se. Ele é um ser de desejo, portador do princípio esperança (Bloch), permanentemente insatisfeito e sempre buscando novas coisas. No fundo, ele é um projeto infinito, à procura de um obscuro objeto que lhe seja adequado. Leia mais

Cinco verbetes sobre Theodor W. Adorno

Adorno e Horkheimer criaram o conceito ‘indústria cultural’ para nomear a modalidade de arte destinada ao consumo de massa.

Teoria crítica

O termo “teoria crítica” surgiu como codinome para o marxismo, na década de 1930, época da ascensão do nazi-fascismo e do stalinismo. Sob tal disfarce, delineou-se uma nova formulação da doutrina, preocupada em preservar essa linhagem sem o amparo de suas âncoras tradicionais, o proletariado e o partido. Leia mais

O que é e o que não é sustentabilidade segundo F. Capra

FRITJOF CAPRA é um dos pensadores mais importantes no campo da ecologia entendida como novo paradigma. Amigo e interlocutor, juntos temos acompanhado o grande projeto CULTIVANDO AGUA BOA da Itaupu Binacional que ele considera como um dos experimentos ecológicos mais bem sucedidos do mundo. Ofereceu-se para escrever o prefádio do livro que escrevi com o pedagogo/cosmólogo Mark Hathway, O Tao da Libertação:explorando a ecologia da transformação, Vozes 2012. Publicamos aqui o resumo desta conferencia dada no Brasil nos inicios de julho  porque esclarece este conceito tão usado e tão mal compreendido: sustentabilidade. Seus livros  ‘O Tao da Física’ e ‘Teia da Vida’ são fundamentais para entender as posições mais avançadas e cientificamente mais bem fundadas da ecologia. A reportagem foi publicada no site Carbono Brasil. Leia mais

Direitos Humanos no Brasil: Desafios, Impasses e Conquistas

Por mais que lamentemos os retrocessos atuais, a intolerância crescente e o ódio à igualdade, optamos por trabalhar numa linha de resistência a tudo isso

Na atualidade vivenciamos e festejamos a promulgação de uma Declaração: a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Festejamos o fato de termos uma Declaração propondo como poderemos viver juntos, talvez apontando para o que seria uma sociedade justa. Festejamos o fato de termos uma Declaração dizendo como poderemos viver juntos que não foi revelada, não foi outorgada por nenhum deus, foi construída a partir de lutas sociais e políticas. Festejamos esta declaração laica, não revelada, imperfeita, fruto de disputas e consensos possíveis. Uma declaração que, pelo fato de ser laica, protege o direito de termos qualquer religião, ou nenhuma religião, sem por isso sermos mortos. Leia mais

Fim de uma era, uma nova civilização ou o fim do mundo?

Há vozes de personalidades de grande respeito que advertem que estamos já dentro de uma Terceira Guerra Mundial. A mais autorizada é a do Papa Francisco. No dia 13 de setembro do ano de 2015, ao visitar um cemitério de soldados italianos mortos em Radipuglia perto da Eslovênia disse:”a Terceira Guerra Mundial pode ter começado, lutada aos poucos com crimes, massacres e destruições”. O ex-chanceler alemão Helmut Schmidt em 19/12/2014 com 93 anos adverte acerca de uma possível Terceira Guerra Mundial, por causa da Ucrânia. Culpa a arrogância e os militares burocratas da União Européia, submetidos às políticas belicosas dos USA. Leia mais

‘Não acredito que haja um futuro se o patriarcado continuar’

Diz-se que os seres humanos destroem o seu entorno mas não é verdade; quem faz isso é o patriarcado capitalista e industrial.

Acabo de entrevistar a Jane Caputi (Estados Unidos, 1953) e penso que tenho que revisar as leituras e séries de TV que vi em 2015. Ando pela rua e olho mais atentamente a publicidade, as campanhas eleitorais, como as pessoas caminham pela calçada e a velocidade dos carros. Caputi é catedrática de “Estudos sobre Mulheres, Gênero, e Sexualidade  na Universidade da Flórida nos EUA e vem, há décadas, trabalhando em torno do conceito de feminicídio a partir de uma perspectiva semântica e semiótica. Na sua fala, ela vincula a existência de um sistema masculino opressor à normalização da violência cotidiana por meio da simbologia que nos rodeia. Leia mais

Onde está o nó da questão ecológica?

Estamos acostumados ao discurso ambientalista generalizado pela mídia e pela consciência coletiva. Mas importa reconhecer que restringir a ecologia ao ambientalismo é incidir em grave reducionismo. Não basta uma produção de baixo carbono mas mantendo a mesma atitude de exploração irresponsável dos bens e serviços da natureza. Seria como limar os dentes de um lobo com a ilusão de tirar a ferocidade dele. Sua ferocidade reside em sua natureza e não nos dentes. Algo semelhante ocorre com o nosso sistema industrialista, produtivista e consumista. É de sua natureza tratar a Terra como um balcão de mercadorias a serem colocadas no mercado. Temos que superar esta visão caso quisermos alcançar um outro paradigma de relação para com a Terra e assim sustar um processo que nos pode levar a um caminho sem retorno e mesmo a um abismo. Leia mais

Fiscalização resgatou 936 pessoas de trabalho escravo no Brasil em 2015

Principal perfil das vítimas é de jovens, do sexo masculino, com baixa escolaridade e que tenham migrado internamente dentro do país.

As operações de combate ao trabalho escravo no Brasil resgataram 936 pessoas de condições análogas à escravidão no período de janeiro a 17 de dezembro de 2015. O principal perfil das vítimas é o de jovens do sexo masculino, com baixa escolaridade e que tenham migrado internamente no país. Leia mais